Bons sonhos, mas sem excessos! Grande frequência do fenômeno pode prejudicar a qualidade do sono

Sonhos ou pesadelos intensos podem estar atrelados a muitas cargas emocionais, como explica especialista

Jennifer de Carvalho com supervisão de Marina Pastorelli Publicado quarta 15 setembro, 2021

Sonhos ou pesadelos intensos podem estar atrelados a muitas cargas emocionais, como explica especialista
Como sonhos em excesso afetam boas noites de sono - Pexels/Pixabay

"O sonho é uma realização (disfarçada) de um desejo (reprimido)": essa é uma das concepções sobre os sonhos para Freud, destacado em seu livro "A Interpretação dos Sonhos", de 1900. Ao dormir, é muito comum termos essas imagens que despertam grandes debates acerca de seus significados, desde o lado científico até o religioso ou místico. 

Essa experiência natural faz parte de uma das fases do sono, chamada de sono REM, do inglês Rapid Eye Movement. Mas, os sonhos excessivos podem estar relacionados à qualidade do momento de dormir. A fisiologista e especialista em Mente Agitada, Debora Garcia, ressalta que, apesar de ser normal, ainda há muito para entender sobre o fenômeno que também ocorre em outros mamíferos. “Agora, com tanto estresse, ansiedade e tensão que muitas pessoas estão passando talvez os sonhos estejam mais evidentes, por conta desse excesso de informações e emoções que todo mundo está vivendo.”

Irritabilidade e falta de concentração são alguns dos efeitos de uma noite mal dormida e, por vezes, ela pode ter sido consequência de despertares constantes entre os sonhos. “Pensando no pesadelo, ele vem com uma carga emocional muito forte que faz com que a pessoa desperte. A grande pergunta é: será que as pessoas estão sonhando mais ou será que elas estão se lembrando mais desses sonhos e esses sonhos estão mais carregados de emoções que fazem com que elas acordem?”, explica a fisiologista, frisando que isso é capaz de deixar as pessoas cansadas. 

+++ Entenda por que a insônia afeta seu sistema imunológico

+++ Você sabia? Sono de baixa qualidade afeta controle da diabetes em crianças; endócrino-pediatra comenta sobre o assunto

“Outra questão observada por pesquisas e estudos sobre os sonhos é sobre as experiências que a gente vive no nosso dia, sobre situações traumáticas que uma pessoa pode viver, como a perda de um familiar ou o medo excessivo em relação ao coronavírus”, aponta Debora, que também lembra que essas situações podem levar ao desenvolvimento de transtornos mentais e que tudo isso pode influenciar o sonho. 

Para quem sofre com o sono fragmento devido a intensidade de sonhos ou pesadelos, Debora Garcia oferece dicas:

Qualidade do sono

“É sempre bom e importante a gente observar a qualidade do nosso sono e não só a quantidade. Se temos descansado ou acordado várias vezes durante a noite, se demoramos para dormir ou se temos insônia”, orienta. 

Rotina noturna

Para preservar a qualidade, a especialista recomenda: “Evitar dormir tarde demais, evitar noites agitadas nos momentos que antecedem o dormir. Ter uma prática mais relaxante, que vai higienizar a sua cabeça, como a própria meditação”. Debora ressalta que esses hábitos levam a um sono mais relaxante.

Último acesso: 21 Oct 2021 - 23:29:49 (3279).