assine

Newsletter

Receba as novidades, cadastre-se

As melhores e piores castanhas

Publicado em 19 de Apr de 2013 por Leticia Maciel | Comente!

Que elas são gostosas todo mundo sabe, o problema é que existem alguns tipos de castanhas que podem trazer problemas para a saúde e para a dieta


  • Corpo blindado com amêndoa

    De acordo com Fábio Bicalho, nutricionista funcional e clínico (RJ), a sua maior característica é a fartura de zinco. “O mineral contribui para o bom funcionamento do sistema de defesas orgânicas, e também é necessário para a divisão celular, estrutura da pele e cicatrização”. Ele ainda tem função antioxidante, com o manganês, o cobre e a vitamina E. Esta última é encontrada em quantidade maior do que o indicado, e ajuda a combater inflamações. Gestantes devem consumi-las sob acompanhamento.

  • Castanha antioxidante do brasil

    Homens, fiquem atentos: a castanha do Brasil é rica em selênio, algo raro em outros alimentos, como destaca Tarcila de Campos, nutricionista da Associação Diabetes Brasil (ADJ). Pesquisas inglesas evidenciam que o mineral reduz a incidência de câncer de próstata, apesar da relação ainda não ter sido descoberta. Porém, nada de excessos, pois uma overdose do nutriente pode aumentar o risco de diabetes tipo 2. Ele também protege os neurônios, melhora o funcionamento da tireoide, o sistema imunológico e é antioxidante, prevenindo doenças relacionadas aos radicais Amendoim, por um livres, portanto vale um investimento com moderação.

  • Amendoim, por um  cérebro turbinado

    “Um nutriente chamado ácido fólico é abundante no amendoim, o que é benéfico para a saúde da mente, pois é um cofator para a produção de diversos neurotransmissores”, diz Daniela. Estudos apontam que sua ação diminui o estresse oxidativo, o que ajuda os neurônios e melhora a memória. É importante na gestação para a formação do tubo neural do feto (sistema nervoso). Rico em resveratrol, previne derrames. Cuidado apenas com fungos: eles podem causar patologias no fígado.

  • Avelã para dar força ao esqueleto

    Um nutriente em especial pode ser considerado a vedete da avelã. “Ela é fonte de cálcio, que previne contra problemas nos ossos, como a osteoporose, e ainda melhora a saúde dos dentes”, explica a especialista. Tal característica é importante para homens mais velhos e mulheres após a menopausa. Mas o alimento também traz outras estrelas: é rico em ômegas 3 e 9, gorduras com ação anti-inflamatória nem sempre encontradas nos alimentos, e em arginina, substância vasodilatadora que permite prevenção e tratamento de doenças cardiovasculares, como pressão alta.

  • Saúde de ferro com castanha de caju

    A castanha de caju é rica neste mineral, que atua nas hemoglobinas, molécula que carrega o oxigênio na corrente sanguínea e ajuda a regular sua distribuição nas células, ação que reduz a sensação de cansaço e aumenta a capacidade de concentração. Outros compostos importantes presentes nessa oleaginosa são as vitaminas C, K e do complexo B; o ácido anacárdico, que combate algumas bactérias que causam cáries dentárias; e a dupla riboflavina e tiamina, que melhora a visão, a saúde da pele e os sintomas da TPM, de acordo com um artigo publicado no American Journal of Clinical Nutrition em 2011.

  • Nozes: coração mais forte

    Elas são consideradas grandes aliadas deste órgão. “Possuem gorduras poli-insaturadas que ajudam a diminuir os níveis do LDL, aumentar o HDL e manter as triglicérides baixas”, diz a nutricionista Tarcila. Além disso, um estudo espanhol de 2006 evidenciou a colaboração de seus óleos na redução da inflamação e oxidação arterial. A presença da vitamina B6 previne a aterosclerose. Mas consuma com moderação: em excesso tem efeito contrário. Outro ponto forte é que ela previne o câncer, por conter ácido elágico, inibidor das células cancerígenas.

Fique longe das opções menos saudáveis!

Apesar de todos os benefícios nutricionais das oleaginosas, fique atento às delícias servidas em banquetes, coquetéis ou aquelas que são vendidas em saquinhos. O que faz delas uma opção menos saudável é a adição de sal, que afeta as suas propriedades benéficas. “O sódio é uma verdadeira bomba para as artérias”, explica a nutricionista Camila Barrella, da Parâmetro Nutricional (SP). Outras delas, vendidas como petiscos, possuem uma série de químicos que podem causar alergias. As castanhas adoçadas também não são uma boa pedida, pois aumentam as calorias, que já estão em alta nesses alimentos devido à quantidade de gorduras, mesmo sendo boas. Se não pode resistir a elas, considere seriamente a diminuição de seu consumo. Para saber mais sobre alimentos ricos em sódio clique aqui.

 

 



COMENTE!