assine

Newsletter

Receba as novidades, cadastre-se

Mitos e verdades sobre a linhaça

Publicado em 30 de Jan de 2015 por Marília Alencar | Comente!

É difícil imaginar que uma sementinha possa fazer tão bem para a saúde. Mas faz! Veja por que ela passou a ser recomendada pelos médicos para ajudar no controle do colesterol e regular as taxas hormonais. Conheça os mitos e verdades sobre a linhaça



Texto Marcela Carlini / Fonte: Rosângela Cordeiro, nutricionista e gerente de Nutrição do Hospital Adventista Silvestre, Rio de Janeiro. / Foto: Fabio Mangabeira (Escala Imagem)

Linhaça

(Foto: Fabio Mangabeira)

A dourada é mais benéfica para a saúde

Falso: O que diferencia um tipo do outro é apenas sua tonalidade. Entre a linhaça marrom e a dourada podem existir muitos tons, mas a diferença entre elas é muito pequena quando falamos de teor de ômega-3, que é um de seus nutrientes mais importantes. As condições de cultivo e a variedade podem alterar a quantidade de pigmento da casca, porém, internamente, a semente costuma apresentar composições nutricionais muito próximas.

É capaz de reduzir o colesterol

Verdadeiro: A linhaça é um alimento de origem vegetal que protege a saúde do coração, principalmente devido à presença do ômega-3 e de ligninas (uma fibra igual à que encontramos na aveia e emoutros cereais). A função do ômega-3 é de ser um mediador das reações inflamatórias e evitar que as células enferrujem (ação antioxidante), o que garante que as taxas de colesterol ruim (LDL) sejam reduzidas e, consequentemente, diminuam os riscos de a pessoa desenvolver doenças cardiovasculares. Por fim, a semente também tem uma ação hipolipidêmica, ou seja, seu consumo regular é capaz de reduzir a gordura no sangue.

Comer em excesso faz engordar

Verdadeiro: Todo alimento tem sua quantidade calórica específica e é bom lembrar que tudo na alimentação deve ser consumido com equilíbrio e, se possível, com a orientação de um nutricionista. Ainda não se tem comprovada a quantidade específica sobre o consumo da semente de linhaça, principalmente quando associada com sementes oleaginosas, o que acontece na composição da ração humana. Entretanto, numa dieta equilibrada, recomenda-se o consumo de duas colheres das de sopa (15 g) de linhaça por dia, o que equivale a 43 calorias.

O grão in natura é melhor do que a farinha

Falso: Quando se consome a semente inteira (in natura), o organismo dificilmente consegue quebrá-la para o melhor aproveitamento, portanto não é possível aproveitar seus benefícios por completo. Logo, a maneira ideal de ingerir a linhaça é crua, integral e triturada (transformada em farinha) na hora do consumo.

 Pode ser substituída por soja, pois elas têm os mesmos nutrientes

Falso: Tanto a linhaça quanto a soja têm ação fito-hormonal. Porém, cada uma tem propriedades particulares. O consumo, a indicação e a quantidade a ser ingerida devem estar de acordo com a programação alimentar de cada pessoa, para isso, recomenda-se procurar um nutricionista.

Regula as taxas hormonais

Verdadeiro: Segundo a pesquisadora canadense Lilian Thompson, as ligninas (fibras) encontradas na linhaça são metabolizadas pelas bactérias intestinais formando substâncias químicas semelhantes aos estrógenos. O estrógeno éum hormônio encontrado no corpo da mulher, responsável pela proliferação e crescimento de células que formam as características sexuais. Assim, ele funciona como um protetor para as células mamárias, podendo prevenir o câncer de mama.

Revista VivaSaúde/ Edição 88



COMENTE!