assine

Newsletter

Receba as novidades, cadastre-se

Quinua: a toda poderosa

Publicado em 19 de Aug de 2013 por Ana Paula Ferreira | Comente!

Cultivada nos Andes há milênios, é um dos alimentos mais completos do mundo e vem conquistando o paladar nacional. Conheça as propriedades desse fantástico grãozinho



Por Mariana Viktor / Foto Shutterstock 

Confira os benefícios do grão
Foto: Shutterstock  

 

Olhando é difícil imaginar que o grãozinho redondo,do tamanho de um gergelim, foi eleito pela Academia de Ciênciasdos EUA e pela Organização das Nações Unidas (ONU) o alimento vegetal mais completo e perfeito do planeta. Aliás, de fora do planeta também: a NASA, agência espacial americana,escolheu a quinua como uma das bases da alimentação de seus astronauta sem vôos de longa duração, porseu extraordinário valor nutritivo.

Plantada há mais de cinco mil anos nos altiplanos da Cordilheira dos Andes,a quinua era chamada pelos antigos incasde chisiya mama, que em quíchua signi?ca “mãe de todos os homens”. O grão, que chegou ao Brasil em 2004,é importado diretamente do deserto Uyuni, nos Andes bolivianos. O local ?ca a 3.800 metros acima do nível do mar e no inverno a temperatura pode atingir 30 graus negativos. “A quinua plantada em outros lugares não temas características nutricionais daquela cultivada em seu local de origem, onde o solo, o clima, os ventos, a salinidade do ar e a altitude são muito peculiares”,observa a nutricionista Danielli Botture, da RG Nutri, de São Paulo. Mas o que a minúscula quinua tem de tão diferente, a?nal? Para começar,além de ser ótima fonte de carboidrato de baixo índice glicêmico (aquele que demora mais para ser digerido), vitaminas, minerais e gordura saudável, ela contém todos os aminoácidos essenciais que nosso corpo não fabrica e que são precursores das proteínas: histidina,isoleucina, leucina, lisina, metionina,fenilalanina, treonina, triptofano, valina e arginina. E essas proteínas, formadas pelos aminoácidos, são indispensáveis para o melhor rendimento e elasticidade das ?bras musculares, recuperação de tecidos e células, manutenção dos órgãos, da pele e do sistema imunológico,bem como para a produção de hormônios e enzimas. “O que costuma acontecer é um legume,verdura, cereal ou fruta apresentar determinado aminoácido essencia em quantidade signi?cativa e ter carência dos demais”, explica onutrólogo Edson Credidio, diretor da Associação Brasileira de Nutrologia(Abran) e membro da International Colleges for the Advancement of Nutrition,dos EUA. “Mas a quinua reúne todos, e isso é uma singularidade.”Outro grande diferencial do grão boliviano é a presença dos aminoácidos metionina e lisina, típicos de alimentos de origem animal como carne e ovos. “Esses dois aminoácidos estão relacionados ao desenvolvimento da inteligência, à rapidez de re?exos e a funções como a memória e a aprendizagem”, observa a nutricionista Gabriela Guerreiro, de São Paulo.

Trata-se de uma grande vantagem para os vegetarianos, mais precisamente os vegans, que não consomem nenhum alimento de origem animal. Ainda assim, atenção: a quinua não pode ser considerada como substituta desses alimentos porque não contém a vitamina B12, como é o caso do leite, do ovo e do queijo,além da própria carne. A de?ciência dessa vitamina pode provocar danos severos e muitas vezes irreversíveis para o sistema nervoso ao longo do tempo. “A quinua é um excelente complemento alimentar, mas não substitui a carne e seus derivados”,reforça o nutrólogo Edson Credidio. Portanto, se você é vegan, leve isso em conta ao elaborar a sua dieta.A quinua também é uma boa fonte de triptofano, aminoácido ligado à produção de serotonina no cérebro,responsável pela modulação do humor, pela disposição e bem-estar.“Por isso, é provável que o consumo regular ajude a espantar a fadiga e a depressão”, diz Gabriela.  

Não contém glúten

A quinua é livre de glúten, lembra Credidio. Isso signi?ca que os celíacos— pessoas com intolerância às proteínas presentes no glúten — ?nalmente podem saborear pães, tortas e bolos feitos com farinha de... quinua! “O sabordo pão feito de quinua não é muito diferente daquele preparado com trigo, só a consistência é que muda um pouco”, diz a nutricionista Danielli Botture. É questão de habituar-se.E, para quem pensa que o alimento é muito calórico, uma boa notícia: ele contém quase a mesma quantidade de calorias do arroz. Cada 100g de quinua crua têm 374 calorias, contra 350 calorias do arroz integral cru. Aliás, por ser rica em ?bras (mais até que o arroz integral), o consumo de quinua ajuda a aumentar a sensação de saciedade durante as refeições, melhora o funcionamento intestinal e favorece no controle dos níveis de colesterol, glicemia e triglicérides no sangue. Ou seja, pode ser um grande aliado para quem quer emagrecer com saúde.

Mais energia

 A composição nutricional da quinua a torna um alimento perfeito para ser consumido por atletas antes e depois de exercícios físicos intensos. “Por ter baixo índice glicêmico,os carboidratos da quinua são metabolizados mais lentamente, garantindo uma reserva de energia necessária durante o esforço físico. E, graças aos aminoácidos, ela ajuda a repararo tecido muscular após o treino”, explica Gabriela Guerreiro. Além de não ter nenhuma contraindicação,é um excelente alimento para crianças, que necessitam de um aporte maior de proteínas e carboidratos saudáveis durante a fase de crescimento. Por isso, é recomendada pela Academia Americanade Pediatria.


Saúde da mulher

A quinua pode ser um ótimo complemento alimentar também para a futura mamãe, cujo organismo precisade 11 gramas extras de proteínas diariamente, de forma a atender à demanda de desenvolvimento do bebê. “O ideal é que a mulher mantenha esse consumo extra de proteína durante a amamentação, até seis meses após o nascimento do bebê”,observa Gabriela. Outro provável benefício da quinua está sendo pesquisado por cientistas da Universidade Maior de SanAndrés, na Bolívia: a presença de ?toestrógenos em sua composição.Os ?toestrógenos, explica Gabriela,são substâncias naturais que “imitam”a ação do hormônio estrógeno no organismo, ajudando a combater os sintomas da menopausa e atuando na prevenção de doenças relacionadas à diminuição do estrógeno no climatério, como osteoporose, câncer de mama e enfermidades cardíacas.A comprovação da presença de ?toestrógenos na quinua sem dúvida será uma ótima notícia para um imenso número de mulheres que não pode fazer reposição hormonal com medicamentos sintéticos.



COMENTE!