assine

Newsletter

Receba as novidades, cadastre-se

Benefícios dos exercícios aeróbicos para prevenir o fígado gorduroso

Publicado em 13 de Mar de 2015 por Clara Ribeiro | Comente!

O treinamento com peso também é aliado, mas é preciso a orientação de um educador físico



Texto: Coleção VivaSaúde Especial - Fígado / Foto: Shutterstock / Adaptação: Clara Ribeiro

Benefícios dos esportes para prevenir o fígado gorduroso

Foto: Shutterstock

A recomendação para incluir atividade física na rotina está praticamente generalizada, afinal, todas as pessoas que se movimentam obtêm ganhos para a saúde e muitas vezes também conseguem eliminar uns quilos que estão sobrando. E no caso dos pacientes com esteatose hepática, a indicação não é diferente. Os exercícios são fundamentais para que o fígado recupere a sua boa forma.

O aumento de casos da doença se deve ao crescimento dos fatores de risco, segundo a gastroenterologista Luciana Costa Faria, do Instituto Alfa de Gastroenterologia do Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). “Dieta com excesso de calorias e rica em gorduras e carboidratos, sedentarismo e obesidade são alguns dos motivos”, diz a especialista.

Além de mudar os hábitos alimentares, é preciso buscar um treino ideal. De maneira geral, as duas principais opções para quem sofre com o fígado gorduroso são as atividades aeróbicas, como a corrida,a natação e o ciclismo, e os treinamentos de força, como exercícios realizados com pesos. “Na literatura científica há um consenso de que o treinamento aeróbico é mais eficiente para a perda da gordura e ele tem como vantagem poder fazê-lo sem ter de ir à academia”, afirma a fisiologista Cláudia Regina Cavaglieri, do Laboratório de Fisiologia do Exercício, da Universidade Estadual de Campinas (FISEX – Unicamp).

Revertendo o quadro

Tanto os exercícios aeróbicos como os de força aumentam o consumo de energia do organismo e também o metabolismo basal, levando ao maior consumo de gorduras corporais e, consequentemente, reduzindo o tecido adiposo, os lipídeos (gorduras) circulantes, como triglicerídeos e colesterol, bem como os lipídeos armazenados no fígado. “Este efeito pode ser aumentado se associarmos o exercício físico a uma dieta ideal, em termos de composição e de quantidade de calorias”, ressalta Cláudia.

Ela cita um estudo de 2009 da Universidade de Sidney, na Austrália, realizado com pessoas obesas e que mostrou que a prática regular de exercício aeróbico levou à redução significativa de gordura hepática e visceral, mesmo sem redução de massa corporal. No caso, os voluntários utilizaram a bicicleta ergométrica durante 30 a 45 minutos por treino, três vezes na semana, em um período de quatro semanas. “Não há dúvidas que o estilo de vida saudável, que inclui a prática de exercício físico regular, é a melhor forma de prevenir e de contribuir para a diminuição da gordura no fígado”, reforça.

Coleção VivaSaúde Especial - Fígado 



COMENTE!