assine

Newsletter

Receba as novidades, cadastre-se

Cuidados ao trabalhar muito tempo sentado

Publicado em 07 de Jan de 2015 por Clara Ribeiro | Comente!

Saia da cadeira do escritório! Essa é a palavra de ordem para quem trabalha durante horas sentado. Dê uma volta, faça alongamentos, ou vá tomar um cafezinho e ajude a evitar complicações decorrentes da postura



Texto: Romulo Osthues / Ilustração: Luis Lentini / Adaptação: Clara Ribeiro

Preste atenção à sua postura ao sentar frente ao computador

Ilustração: Luis Lentini

Assumir uma nova postura no ambiente de trabalho pode proporcionar mais benefícios do que uma promoção registrada no currículo ou um aumento de salário – será um ganho de saúde no fim das contas. “As pessoas se sentam de forma errada, sem apoio na coluna lombar e sem respeitar a distância do assento da cadeira em relação ao chão. Isso facilita a compressão sobre ligamentos (que se inserem nos ossos), o que leva à inflamação deles, ocasionando dores”, diz o neurocirurgião Eduardo Barreto, membro da Sociedade Brasileira de Coluna (RJ).

O quadril é uma articulação que possui mobilidade variada, sendo comprometida ao ficar imóvel por muito tempo. Na posição sentada, todo o peso da parte superior do corpo se direciona para o quadril, os músculos da coxa e a região abdominal. As más postura e congruência articular desgastam as vértebras, os discos e as articulações dado o aumento dos pontos depressão nesses locais.

Postura sedentária

De acordo com Leonardo Machado, fisioterapeuta (DF), o principal ponto a ser analisado nessa questão não é o ficar sentado: “A ‘postura sedentária’ inviabiliza uma boa circulação corporal de sangue e linfa. Em relação ao aspecto ortopédico, alguns músculos podem vir a ficar tensionados em posição de estiramento e, com isso, as trocas circulatórias são prejudicadas, toxinas se acumulam, fibroses se instalam e as dores se manifestam”.

A perpetuação desses estados de tensão pode favorecer também processos degenerativos articulares, como as artroses. E tem mais... “Ao sentarmos de forma errada por longos períodos (meses e anos), vão ocorrendo alterações posturais, fraqueza muscular, déficit de flexibilidade das estruturas da coluna, quadril, membros inferiores e superiores”, ressalta Emerson Lessa, fisioterapeuta e coordenador do Centro de Reabilitação do Hospital 9 de Julho (SP).

O cotidiano não facilita

“Considerando uma pessoa com uma jornada de trabalho de oito horas sentada, além das horas dentro do carro ou transportes públicos e mais as horas de sono, esse trabalhador vai se tornando mais sujeito à prevalência de doenças causadas pela falta de exercícios”, fala Felipe Monnerat, personal trainer (SP).

Monnerat explica que a posição sentada envolve menor demanda energética que a em pé e, assim, menos trabalho ou musculatura envolvida. Como solucionar? Manter-se ativo em horas vagas, praticar exercícios, atividades de lazer e executar parte das tarefas em pé. Gerseli Angeli, fisioterapeuta (SP), acrescenta que permanecer sentado leva a um menor gasto calórico, dificultando o combate ao sedentarismo. E sugere algumas mudanças de fácil concretização, como ir buscar o cafezinho em vez de pedir a um colega, deixar de lado o interfone e caminhar até a mesa do companheiro para lhe dar algum recado.

Ilustração: Luis Lentini

Revista VivaSaúde - Edição 139



COMENTE!