assine

Newsletter

Receba as novidades, cadastre-se

Dança pode auxiliar na boa memória

Publicado em 23 de Apr de 2013 por Ana Paula Ferreira | Comente!

A necessidade de decorar passos e sequências na hora de dançar faz com que a memória seja estimulada. Entenda porque dançar faz bem para a memória



Texto: Jéssie Panegassi / Foto: Danilo Tanaka / Adaptação: Ana Paula Ferreira

Além do balé clássico, pilates e ioga, a dança de salão também é uma ótima opção para quem

quer manter o cérebro e o corpo em forma. Foto: Shutterstock

A necessidade de decorar passos e sequências, ou apenas o fato de fazer um tipo diferente de movimento com o corpo, faz com que o cérebro também se comporte de outra forma. “Quando se experimenta algo novo, uma habilidade nova, ou até mesmo resgata-se um antigo hábito, o cérebro é obrigado a fazer novas con?gurações que acabam colocando mais uma de suas áreas em ação”, ensina a especialista Blenda. Misturando exercícios do balé clássico, pilates e ioga, os alunos da turma de Power Spirit da bailarina Betina Guelmann (RJ) treinam a memória, lateralidade, ritmo e noção de espaço mediante os movimentos repetidos

 

Dança de salão para memória

A dança de salão, que normalmente oferece aulas especí?cas para determinadas faixas etárias, também é uma boa opção para quem quer manter o cérebro e o corpo em forma.

Dentre os demais benefícios que ela traz para a saúde estão a melhora da coordenação motora e das relações sociais. Algumas escolas oferecem cursos especiais para crianças e idosos, que trazem resultados mais especí?cos. As crianças melhoram a coordenação, concentração e relacionamento com os demais, devido ao contato físico.

Já a terceira idade apresenta fortalecimento ósseo e muscular e ativação cerebral. Para quem não gosta de musculação, é uma ótima forma para se exercitar e ajudar também no tratamento da depressão. Com relação a risco de lesões, “se a escola tem o piso adequado e o aluno está com o sapato recomendado, é mais difícil que ele se machuque”, tranquiliza Renato Mota. Assim, com o alongamento e local adequado, o joelho não se sobrecarrega, o que evita lesões.