assine

Newsletter

Receba as novidades, cadastre-se

Descubra como acelerar o metabolismo

Publicado em 30 de Jul de 2014 por Clara Ribeiro | Comente!

Garanta o controle do peso com exercícios pensados para estimular a atividade metabólica, especialmente na idade madura



Marcio Gomes e Letícia Ronche / Fotos: Danilo Tanaka / Adaptação: Clara Ribeiro

Após os 55 anos, o ideal é alimentação saudável e atividade física, dando

preferência para exercícios aeróbicos de baixo impacto

Foto: Danilo Tanaka

Quem não gostaria de perder uns quilinhos rapidamente, atire a primeira pedra! Se você decidiu que chegou o momento de voltar a usar aquela peça de roupa escondida no fundo do guarda-roupa ou se o fôlego tem atrapalhado a prática de atividades antes facilmente praticadas, é hora de dar uma força para a balança, adotando estratégias livres de contra indicações. Se o primeiro pensamento que lhe veio à cabeça foi — mas como fazer isso, se eu sou o rei do sedentarismo? — prossiga na leitura.

Segundo o médico do esporte Páblius Braga, do Hospital 9 de Julho (SP), “Começar uma dieta de restrição calórica talvez não seja a melhor solução para uma pessoa sedentária e com sobrepeso perder alguns quilos. Isso porque, apesar de a pessoa estar diminuindo a quantidade de calorias ingerida, seu metabolismo consumirá as proteínas dos músculos em vez da gordura quando precisar de energia. Assim, ela não conseguirá emagrecer. Por isso, o melhor plano para alcançar seus objetivos deve aliar uma dieta de restrição calórica aos exercícios de musculação.

É importante ter em mente que a frequência da alimentação é fundamental para ativar esse mecanismo de gasto energético. Se você se alimentar seis vezes por dia, por exemplo, o organismo acaba se acostumando com o aporte de alimento e pode se programar melhor. É como se ele pensasse da seguinte forma: “Se eu recebo uma quantidade de alimentos bem dividida todos os dias, por que vou armazenar?”, fala Braga. Os grandes intervalos entre as refeições convidam o organismo a acumular calorias.

PROGRAME-SE

O médico explica que quem está com sobrepeso e não pratica atividade física acaba atrofiando os músculos e acumulando gordura. Esse excesso provoca diversos outros problemas, como os posturais, que levam às dores musculares. No futuro, a coluna, os joelhos e as articulações se manifestarão.

Braga afirma que, para os exercícios serem eficientes, é importante uma programação para que o corpo se adapte à repetição das sessões de treinamento e possa disponibilizar e mobilizar a gordura corporal de forma rotineira. Por exemplo, se a pessoa fizer duas horas de exercício por semana, não estará programando o corpo para gastar energia e o esforço não terá o resultado esperado.

E é a regularidade da prática que melhora muito o metabolismo do corpo, facilitando todas as funções corporais. Com a frequência, os músculos se fortalecem, a resistência do corpo melhora, a tolerância aos esforços contínuos passa a ser maior pela melhora na eficiência do coração, pulmões e circulação sanguínea.

Consequentemente, o exercício vai ficando cada vez mais fácil. “Note que uma pessoa em forma já não fica tão ofegante, como pode ter acontecido nas primeiras vezes em que praticou o exercício”, lembra Braga. O indivíduo, então, já se sente preparado para aumentar a frequência e fortalecer ainda mais os músculos com muito menos esforço.

ESCOLHER O QUE SE GOSTA

Para que a pessoa siga sua rotina de exercícios, é importante que goste deles e que tenha feito uma atividade física adaptada ao seu perfil. “Se a pessoa gosta de futebol, pode ter um programa só com essa prática, que inclui preparação física, parte aeróbica e tratamento muscular específico”, sugere Silva. “E será assim com quem preferir remo, basquete ou outro esporte.”

Já se a pessoa gosta de ter aulas em academias, deve adaptar exercícios aeróbicos, como caminhada, corrida ou bicicleta, com exercícios localizados, como musculação. Outra opção é investir em atividades que exijam velocidade, o que faz despender esforço físico fazendo que o efeito aeróbico do exercício combine com o anaeróbico. É o caso das caminhadas em passo acelerado ou corridas.

NO TEMPO CERTO

É importante ressaltar que ninguém consegue acelerar o seu metabolismo se só praticar atividade física aeróbica três vezes por semana. “A frequência mínima para esse tipo de exercício é de cinco vezes por semana, pelo menos uma hora por dia, quando a pessoa já estiver condicionada”, garante Braga. A explicação para isso é que quando há muitos intervalos de gasto de energia, o efeito do exercício se perde. Mesmo o metabolismo estimulado vai perdendo ritmo, que seria preferível manter.

“Se a pessoa praticar atividades mais intensa sem academia, pode se restringir a três vezes por semana, mas terá de desenvolver atividades físicas moderadas nos intervalos, como fazer caminhadas, subir escadas, deixar o carro para ir a supermercados e locais próximos”, conclui o especialista.

E QUANDO A IDADE VAI CHEGANDO...

Nesse período, o ritmo metabólico diminui, bem como “todas as funções orgânicas têm o seu decréscimo natural”, explica Roberto Ranzini (SP), especialista em medicina esportiva pela Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e do Esporte (SBMEE).

Jomar Souza, ex-presidente da SBMEE acrescenta que existe umatendência para se “poupar energia” com o acúmulo de tecido gorduroso nas pessoas predispostas. E ambos indicam que para reverter essa situação o ideal é alimentação saudável e atividade física, dando preferência para exercícios aeróbicos de baixo impacto. “Não são recomendados exercícios anaeróbicos, como musculação, porque já existe uma perda natural de massa muscular nessa fase”, fala Ranzini, que lembra que se o indivíduo usufruiu de bons cuidados durante a vida, estes terão efeitos na maturidade.



COMENTE!