assine

Newsletter

Receba as novidades, cadastre-se

Dicas para acabar com a crise de ansiedade

Publicado em 09 de Jun de 2015 por Marília Alencar | Comente!

O passo a passo para ficar mais “zen”. Tire proveito dessas sugestões práticas, na hora em que a crise de ansiedade quiser se instalar


  • Identifique as possíveis causas: essa é uma das primeiras atitudes a serem tomadas. Afinal, você sabe o que te deixa ansioso? O psiquiatra renato Mancini, do IPq, ressalta que, devido à rotina agitada, é comum realizarmos atividades automaticamente, sem nos darmos conta dos pensamentos, sentimentos e ações envolvidos em cada uma delas. “estar alerta é o primeiro passo para identificar os pontos-chave a serem mudados”, diz. Tente fazer uma análise do seu dia a dia. Como está a sua vida em casa, no trabalho, na faculdade? Existe algo te incomodando? Reflita sobre isso.

  • Faça pausas para manter a calma: dependendo do nível de ansiedade, a pessoa pode sentir muita dificuldade em manter-se calma, e acaba agindo por impulso, o que causa ainda mais sofrimento. “O ansioso responde de ‘bate pronto’, de forma emocional e, frequentemente, de forma equivocada e desproporcional”, alerta o neurologista Leandro Teles. Assim, relaxar, pensar antes de agir e aceitar as suas limitações podem ser boas alternativas para lidar com a situação de uma maneira mais racional. “É fundamental o paciente entender que não dá para abraçar o mundo e nem é possível ter o domínio de todas as variáveis da vida”, conclui.

  • Encare os problemas: de acordo com o neurologista, Leandro Teles, membro da Academia Brasileira de Neurologia (ABN), “reconhecer os sintomas e desenvolver uma melhor adaptação, ao invés de se esquivar das situações difíceis” é o melhor caminho a seguir. A dica é: encare os fatos e tente encontrar mecanismos para solucioná-los. “E não alimente os medos. Evitar um problema só vai alimentá-lo no futuro”, alerta o psiquiatra Bernik.

  • Hábitos e Vida Saudáveis: Manter um estilo de vida saudável também pode ser uma boa pedida para tentar amenizar os sintomas da ansiedade. “O corpo e a mente precisam de atividade e de descanso, assim como o pulmão deve inspirar e expirar para funcionar. Quem não dorme direito, não se alimenta bem, abusa do café (e outros estimulantes) e não tem atividades de lazer, não controla adequadamente os níveis de ansiedade”, ressalta Mancini.

  • Alimente-se bem: ansiosos costumam “descontar” seus sentimentos na comida. Alimentos calóricos e ricos em carboidratos(doces, produtos industrializados e chocolates), muitas vezes são ingeridos na expectativa de amenizar a situação, mas, ao invés de aliviar, agravam o problema. O ideal é manter uma dieta balanceada, colorida e fracionada, não pular nenhuma refeição e evitar itens estimulantes, como a cafeína, refrigerantes e energéticos, além de não abusar do álcool e da nicotina. Para domar a ansiedade, consuma alface, peixes, banana, carnes vermelhas e ovos, cujos nutrientes atenuam o incômodo.

  • Pense positivo: os seus pensamentos podem ser determinantes na maneira como você enxerga a vida. Um estudo publicado pela International Stress Management Association (IsmaBrasil), instituição que realiza pesquisas e métodos de prevenção e do tratamento do estresse, o impacto positivo que o otimismo exerce sobre o sistema imunológico é poderoso. Assim, mantenha-se otimista. Veja a vida pelo lado bom, substitua os pensamentos negativos por positivos, sorria. Isso ajuda, e muito, no controle da ansiedade.

  • Pratique exercícios físicos: além de contribuir para saúde como um todo, a prática regular, recomendada pela Organização Mundial da Saúde (OMS), também ajuda a controlar a tensão emocional. “O exercício é uma válvula de escape e ajuda na liberação de hormônios como a dopamina, a serotonina e endorfinas, modulando a resposta cardiovascular, o que causa sensação de relaxamento e bem-estar”, explica o médico Teles. De acordo com o psicólogo Bez, qualquer tipo de atividade é indicada, seja ela aeróbica (caminhada, corrida, natação, dança) ou anaeróbica (musculação, flexão de braço, abdominal). Escolha aquela que mais gosta e mexa-se!

  • Procure ajuda profissional: reconhecer que tem um problema e que precisa de ajuda não é vergonha para ninguém. Essa prática pode ajudar a evitar complicações ainda maiores. “A ansiedade pode evoluir com insônia, hipertensão, ganho de peso, queda de cabelo e da imunidade. A frustração por não conseguir controlar os sinais, pode evoluir com depressão e franco comprometimento na qualidade de vida”, explica o neurologista Leandro Teles. Por isso, a indicação é procurar um psiquiatra que fará o diagnóstico e indicará o procedimento mais eficaz para cada caso, que pode incluir o uso de medicamentos e terapia. Vale lembrar que, “quanto antes o tratamento for iniciado, mais fácil e mais rápida a melhora”, conclui Renato Mancini.

Texto Camila Cabreras / Ilustração: Sueli Mendes/ Adaptação Marília Alencar

Revista VivaSaúde/Edição 135

 



COMENTE!