assine

Newsletter

Receba as novidades, cadastre-se

Tudo sobre o kettlebell training

Publicado em 10 de Jul de 2015 por Marília Alencar | Comente!

O kettlebell trainning é uma forma eficaz de exercitar-se, que permite trabalhar os músculos de modo unilateral, ajudando no alinhamento da coluna



Texto Ivonete Lucirio / Foto: Danilo Tanaka/ Adaptação: Marília Alencar

Entenda o que é o Kettlebell Trainning
(Foto: Danilo Tanaka)

Uma bola de ferro fundido com uma alça. Essa é a definição simples do kettlebell. Mas os efeitos que ela provoca sobre o corpo não são nada simples. O objeto era usado pelos antigos guerreiros no século 16 para demonstrar sua capacidade física, mas no século passado ganhou uma cara nova quando passou a ser usado para treinos de força, primeiro na Rússia e depois nos Estados Unidos, antes de começar a se espalhar pelo mundo. A maior parte dos movimentos executados no kettlebell training exercita o corpo de forma unilateral.

Assim, é possível trabalhar grupos musculares individualmente e apenas de um lado do corpo, permitindo compensações e resolvendo assimetrias. “Esse é um dos motivos pelos quais os exercícios feitos com o kettlebell são bastante indicados para melhorar a postura”, diz a professora de educação física Mônica Pimenta, do espaço que leva o seu nome, primeiro centro de treinamento dessa modalidade em São Paulo. “Durante os movimentos, é preciso trabalhara estabilidade do tronco.

Preocupado em estar com a postura correta para realizar os movimentos, o praticante adquire uma maior consciência corporal”, completa o educador físico Thiago Marques Petrin, da Academia Corpus Perdizes, em São Paulo. Além disso, em conjunto com o kettlebell training, o aluno faz um treinamento de flexibilidade integrada que diminui o risco de lesões e tem também a função de corrigir os desequilíbrios musculares.

Movimento pendular

O kettlebell não deve ser usado como um halter comum. Sua função vai muito além disso. Graças ao formato com alça é possível realizar movimentos específicos, inviáveis com pesinhos tradicionais. “Em um dos movimentos, chamado swing, a bola sobe usando a força do quadril. Ao descer, o braço trabalha para brecar a velocidade.” A maior parte dos movimentos é pendular, como a parte interna de um sino, daí o nome bell, que é “sino” em inglês. São seis os movimentos básicos.

O swing é a base para todo o treinamento e fortalece a coluna. O clean usa principalmente os quadris e as pernas. O military press trabalha com a rigidez do corpo como um todo. O frontal squat envolve flexibilidade e força ao mesmo tempo. O snatch é um dos movimentos mais clássicos e o mais eficiente para identificar assimetrias do corpo. O turkish get up é a sequência mais longa de movimentos e mexe com a estabilização do corpo como um todo.

Diferente da malhação

Antes de começar a prática, são necessárias algumas precauções. Os especialistas afirmam ser preciso fazer uma avaliação da estrutura física da pessoa para ver quais grupos musculares precisam de maior atenção. “O trabalho é feito com delicadeza, como se estivéssemos esculpindo partes do corpo”, diz Mônica. “Por isso, diferentemente da malhação convencional, o resultado é um corpo firme e o bumbum, duro”, completa.

As aulas duram cerca de 50 minutos e devem ser repetidas ao menos três vezes por semana. “Se a intenção for perder peso, o tempo é maior: de quatro a cinco aulas”, diz Mônica. No exterior, as bolas variam de 6 a 32 quilos. No Brasil, de 4 a 40 quilos. “Mas a atividade física só poderá ser considerada kettlebell training se forem usados pesos acima de oito quilos. Menos que isso, teremos um treino com peso como outro qualquer, o que não é o objetivo dessa modalidade esportiva”, explica a professora Mônica.

Revista VivaSaúde/ Edição 113



COMENTE!