assine

Newsletter

Receba as novidades, cadastre-se

Aprenda a reconhecer os reais problemas nos testículos

Publicado em 02 de May de 2013 por Ana Paula Ferreira | Comente!

Esta parte da anotomia dos homens é reconhecidamente sensível, mas a dor que se sente nem sempre corresponde à eventual lesão. Aprenda a reconhecer os reais problemas dos testículos



Texto: Diego Benine / Foto: Danilo Tanaka / Adaptação: Ana Paula Ferreira

Os tumores nos testículos geralmente não provocam dores, diferente das demais enfermidades

testiculares. E quando isso acontece, são incômodas mais toleráveis. Foto: Danilo Tanaka

Poucas coisas preocupam tanto os homens como um ferimento, hematoma ou sinal estranho bem naquele lugar. Uma batida, mesmo que de leve, nos testículos, durante uma partida de futebol, é capaz de provocar a maior “neura” nos marmanjos, pois a dor excruciante traz à tona os medos da infertilidade e da disfunção erétil.

Quando se trata de um trauma testicular leve (como o causado por uma bolada ou chute, por exemplo), o urologista Daher Chade, do Instituto do Câncer do Estado de São Paulo (Icesp), a?rma que a gravidade do ferimento normalmente é desproporcional à dor sentida e que o indivíduo não precisa temer: ele ainda poderá ser pai. “Ao levar uma pancada, a dor que você sente é muito maior do que a lesão interna que realmente ocorreu no órgão. Além disso, as causas da infertilidade são multifatoriais e podem ter a ver com a genética do homem. São poucos os fatores externos que causam esse problema.”

Sintomas preocupantes

E quando surge um incômodo sem causa aparente? Pode ser uma doença grave, como o câncer? “As complicações do testículo são divididas em quatro categorias: traumas locais, infecções, tumores e malformações. Os quatro tipos podem causar dores, mas os quadros são muito diferentes”, explica o urologista. Embora os sintomas de cada problema sejam bastante especí?cos, o paciente não tem condições de autoavaliar-se. “Se a dor ou qualquer outro sinal surgir no local, procure um urologista. Isso tem de ser investigado rapidamente. Muitas vezes, o pai e a mãe subestimam as queixas do ?lho, e a demora para receber tratamento pode resultar na perda da glândula”, alerta Marco Antônio Arap, urologista do Núcleo Avançado de Urologia do Hospital Sírio-Libanês.

Para sanar as suas dúvidas, VivaSaúde  mostra quais são as principais doenças e complicações que afetam os testículos, bem como as formas de prevenção e tratamento. Con?ra a seguir:

Tumores na região

Diferente das demais enfermidades testiculares, os tumores geralmente não provocam dores. E quando isso acontece, são incômodos mais toleráveis. A doença surge na forma de um nódulo que não endurece ou inflama. Assim como todo câncer, ela é perigosa se não for tratada corretamente, já que pode se espalhar para outras partes do corpo — gânglios, pulmões e cérebro são as mais atingidas. A boa notícia é que a chance de cura é altíssima. “90% dos casos são curáveis. Mesmo quando a doença está espalhada e em metástase”, tranquiliza o urologista Arap. O tratamento é feito por meio da extração do testículo doente, o que na maioria das vezes não afeta a potência sexual ou a capacidade de produzir espermatozoides. A quimioterapia e a radioterapia podem ser necessárias. “O próprio desenvolvimento do câncer não causa infertilidade, pois normalmente afeta um testículo só. O problema é a quimioterapia, que é uma das poucas causas externas do problema”, acrescenta Chade.

Torção testicular

É uma dos poucas anomalias urológicas que exigem medidas emergenciais. Mais comum em crianças e adolescentes, ocorre quando o testículo gira em torno do próprio eixo. “Isso acontece devido a uma malformação da estrutura que fixa o órgão na bolsa testicular. Ao girar, falta irrigação sanguínea, o que causa uma insuficiência de oxigenação que pode acarretar necrose e perda do testículo”, esclarece Chade. Os principais sintomas são inchaço e uma dor muito forte e contínua que se instala na região. Como o indivíduo já nasce com o problema, não há formas de prevenção. Se a torção não for tratada com uma cirurgia em um período de 6 a 12 horas após a interrupção do fornecimento de sangue, a perda do testículo é inevitável.

Orquite e caxumba

Trata-se de uma infecção que pode ter origem viral (afeta principalmente as crianças) ou bacteriana (mais comum em adultos). O vírus da caxumba também pode causar a doença, cujos sintomas são: sensação de dolorido nos testículos e aumento do volume da bolsa testicular, além de vermelhidão localizada e, em alguns casos, febre. Embora o tratamento gire em torno do repouso na maioria dos quadros, Chade destaca que é essencial procurar um pronto-socorro assim que esses sinais surgirem. “Quando intensa, ela pode tornar o homem infértil. É algo muito raro, mas acontece”, ressalta o médico do ICESP.

Varicocele, condição congênita

É a dilatação anormal das veias que rodeiam o testículo. Não é uma  doença, mas sim uma condição congênita. De acordo com Arap, ela atinge 30% dos homens e pode provocar dores e até infertilidade. “A hipótese mais comum para isso é que o problema gera um aumento da temperatura do testículo: o enovelado de veias aquece e acaba matando os espermatozoides”. Nem todos acabam sofrendo dessa agravante (que requer intervenção cirúrgica). ”Quando a infertilidade não acontece, o paciente não precisa de tratamento. É apenas uma alteração anatômica”, completa Chade. Nesse caso, medicamentos de via oral e o uso de suspensório escrotal ajudam a aliviar os incômodos.


 



COMENTE!