assine

Newsletter

Receba as novidades, cadastre-se

Entenda tudo sobre o mioma uterino

Publicado em 24 de Apr de 2013 por Ana Paula Ferreira | Comente!

A doença raramente é fatal, mas deve ser tratada para preservar a saúde do útero. Saiba tudo sobre o mioma uterino



Texto: Ivan Alves / Foto: Shutterstock / Adaptação: Ana Paula Ferreira

A doença pode ser assintomática, ou seja, se desenvolve sem dar nenhum sinal claro ao

paciente de sua existência. Por isso, é importante não deixar de ir ao ginecologista.

Foto: Shutterstock

O mioma uterino raramente é fatal, mas deve ser tratado para preservar a saúde do útero e impedir que os sintomas afetem a qualidade de vida da paciente. Entenda tudo sobre esta doença:

O que é?

Um tipo de tumor benigno que se desenvolve nas paredes do útero. A doença raramente se transforma em algum tipo de câncer ou causa morte. Seus sintomas, no entanto, interferem diretamente na qualidade de vida da paciente. Os miomas uterinos ocorrem durante a idade fértil, com maior prevalência entre as mulheres negras, com idade superior a 40 anos ou que nunca tiveram ?lhos.

Como é o diagnóstico

Não há exames preventivos. Os testes servem para localizar um mioma de maneira precoce. Como a doença pode se desenvolver sem apresentar sintomas, os especialistas recomendam que o acompanhamento ginecológico ocorra com frequência para a detecção ainda em fase inicial. Dessa forma, é possível impedir o avanço e a multiplicação dos miomas. A primeira avaliação é física, realizada pelo ginecologista. Recursos como ultrassom, ressonância magnética e histeroscopia (sonda) também são aplicados para o diagnóstico preciso.

Quando há sintomas

A doença pode ser assintomática, ou seja, se desenvolve sem dar nenhum sinal claro ao paciente de sua existência. Nos casos em que o mioma causa sintomas, as pacientes têm alterações na menstruação, aumento de massa corporal na região da cintura, aumento da frequência urinária e dores na região abdominal.

Durante a gravidez

 Uma mulher grávida que tem um mioma no útero e seu bebê di?cilmente terão complicações, especialmente sob supervisão médica. Apenas casos de miomas grandes ou próximos à cavidade uterina aferem problemas à gestação e à criança. Quadros como esses podem levar ao aborto espontâneo, parto prematuro e deslocamento da placenta.

Opções de tratamento

Os sintomas podem ser controlados por medicamentos. A cirurgia é considerada de acordo com a faixa etária da paciente, gravidade dos sinais e o tipo e a localização do mioma. Há recursos para retirada dos miomas que podem ou não preservar o útero entre as cirurgias convencionais. Já o processo minimamente invasivo, chamado ExAblate, mata as células que causam o mioma por ondas de ultrassom a uma temperatura de 80o C guiadas por ressonância magnética.

 



COMENTE!