assine

Newsletter

Receba as novidades, cadastre-se

Fique atento à saúde de seu intestino

Publicado em 02 de May de 2013 por Ana Paula Ferreira | Comente!

A estimativa de mais de 277 mil novos casos de câncer no sistema digestório nos Estados Unidos em 2011, reforça a importância de atentar para a saúde do intestino desde cedo



Texto: Jéssie Panegassi / Foto: Shutterstock / Adaptação: Ana Paula Ferreira

É recomendável que exista uma busca ativa dos pacientes para tentar detectar as doenças do

intestino na fase prémaligna. Foto: Shutterstock

O funcionamento do intestino interfere diretamente na saúde e na qualidade de vida das pessoas. A visita ao proctologista, ainda considerada por muitos um tabu, diz respeito a esse funcionamento e ainda pode evitar grandes complicações no futuro.

Quando ele não trabalha corretamente, “a grande preocupação é que esse possa ser um sinal de câncer do intestino grosso, que é uma doença bastante frequente na nossa população”, alerta Rodrigo Perez, coloproctologista do Hospital Alemão Oswaldo Cruz.

Para evitar essa e outras doenças, a colonoscopia ainda é o exame mais indicado para rastrear e também tratar esses problemas. Mas já existem novas técnicas e aparelhos que oferecem menos riscos ao paciente. Além disso, “em quase todas as doenças do intestino grosso é possível realizar o tratamento cirúrgico (se necessário) através de videolaparoscopia”, a?rma Perez.

Com esse procedimento, insere-se uma microcâmera de vídeo na região a ser analisada. Para explicar e desmisti?car a saúde do intestino, o especialista conversou com a revista VivaSaúde. Con?ra!

VivaSaúde – Quais são as principais doenças intestinais?

Rodrigo Perez – As doenças de intestino são divididas basicamente entre intestino grosso e fino. O intestino grosso é a parte final e onde se localiza a maior parte das doenças intestinais. Elas, por sua vez, podem ser de três tipos: infecciosas (acontecem mais comumente devido à ingestão de alimentos contaminados), benignas (as mais frequentes são a diverticular, os pólipos, a constipação e a hemorroida) e malignas (câncer e outras doenças associadas a ele).

Quais os sintomas gerais de que algo não vai bem com o intestino?

Perez – Sangramento ao evacuar, alteração do hábito intestinal (a pessoa que tinha o intestino preso e de repente ele fica solto, e vice-versa), perda de peso sem motivo aparente, dores abdominais intensas ou até cólicas intestinais devem motivar a decisão de procurar a ajuda de um especialista.

O que é a doença diverticular?

Perez – Existem os divertículos, que são uma consequência de uma fragilização natural do intestino ao longo dos tempos devido a uma dieta muito industrializada, e a diverticulite aguda (sangramento causado por eles). Ela não é muito frequente comparada às pessoas que apresentam divertículos. Enquanto quase 60% da população com mais de 50 anos trazem divertículos que podem ser vistos na colonoscopia, apenas 10% deles têm a manifestação clínica da doença.

Como ocorre a Síndrome do Intestino Irritável?

Perez – Essa doença é funcional e não orgânica, ou seja, não é possível remover o que está causando os sintomas por ser um problema de funcionamento do intestino. O diagnóstico é feito por exclusão e muitas vezes ela acaba não tendo grande importância para os médicos, pois não é possível vê-la de alguma forma. Mas é uma queixa comum dos pacientes por causa do seu incômodo. O tratamento acontece, então, nos sintomas (diarreia, constipação e dor). Ela também não tem consequências de maior gravidade — não leva ao câncer, ou a usar uma bolsa de colostomia — e tem a sua importância por causa da frequência e da intensidade dos sintomas que ela pode trazer em sua manifestação. 

O paciente deve procurar o proctologista apenas com o aparecimento dos sintomas ou existem consultas de rotina?

Perez – Recomenda-se uma busca ativa dos pacientes para tentar detectar as doenças do intestino na fase prémaligna. Ou seja, o câncer vai nascer necessariamente de pólipos que em algum momento foram benignos. Então, detectar e removê-los o quanto antes é importante e pode ajudar o paciente. Para isso, mesmo as pessoas que nunca tiveram nenhuma doença do intestino e não apresentam qualquer sintoma devem realizar a colonoscopia, que é uma providência preventiva. A idade ideal para fazê-la é a partir dos 50 anos.

Quais são os benefícios da colonoscopia?

Perez – É o exame mais importante não só no esclarecimento das doenças, mas no tratamento — e em especial no rastreamento do câncer colorretal. Ou seja, no mesmo procedimento, encontrando algum pólipo, o médico já pode fazer uma biópsia para saber exatamente do que se trata e também, na maioria dos casos, já removê-lo oferecendo um tratamento definitivo para aquela doença.

Como é realizado o exame de colonoscopia, em geral?

Perez – Durante a preparação, o intestino deve ser completamente limpo das fezes. Por isso o paciente precisa tomar grandes volumes de líquido e vai ao banheiro várias vezes; então, essa é a parte mais desconfortável do exame. O procedimento em si começa com a introdução do endoscópio pelo ânus para que se possam verificar o intestino grosso inteiro e uma parte do fino. É feito com uma sedação, normalmente leve, que não permite que a pessoa se lembre dos procedimentos e nem sinta algum incômodo com a presença do aparelho. Apesar disso, ele é suportável.

 



COMENTE!