assine

Newsletter

Receba as novidades, cadastre-se

Saiba tudo sobre a candidíase

Publicado em 21 de Jun de 2013 por Ana Paula Ferreira | Comente!

Frequente em mulheres, a infecção genital causada por fungos acarreta coceiras intensas, inchaço, ardência, vermelhidão e um corrimento branco e espesso



Texto: Samantha Cerquetani / Ilustração: Amanda Matsuda / Adaptação: Ana Paula Ferreira

O primeiro passo para o tratamento da dandidíase é descobrir as causas da doença e tentar

combatê-las. Nos casos agudos, o recomendável é usar medicamentos com antifúngicos em

comprimidos. Ilustração: Amanda Matsuda

A candidíase é uma infecção genital causada por fungos — a mais comum é a espécie Candida albicans — que acomete grande parte das mulheres (os homens também podem ter a candidíase peniana, mas não é tão comum). Ela acontece quando as células de defesa e substâncias químicas que ajudam a proteger a região das infecções não conseguem controlar a proliferação fúngica, causando a candidíase. Especialistas estimam que aproximadamente 5% das mulheres irão apresentar três ou mais episódios em um ano e pelo menos 75% terão a doença uma vez na vida. Apesar de não ser considerada uma doença sexualmente transmissível, ela também pode ser transmitida durante uma relação sexual.

Sintomas

Algumas mulheres são portadoras de candidíase, mas não apresentam sintomas. Porém quem possui a doença sente uma coceira intensa na vagina e no canal vaginal, vermelhidão na vulva e vagina, inchaço, ardência e um corrimento branco e espesso. Nos homens, os sintomas são: manchas e lesões no pênis, edema leve e coceira intensa.

Diagnóstico

A candidíase pode ser detectada com exame ginecológico em que se identi?cam as placas brancas aderidas na parede vaginal. Pode ser usada uma ?ta de papel especí?ca para medir o pH da vagina e também é realizado um exame com visualização microscópica. Nos homens, uma análise das lesões identi?ca a doença.

Prevenção

Ainda não foi comprovado cienti?camente, mas há evidências de que uma dieta rica em doces pode levar à glicemia (quando há um aumento de açúcar no sangue), e um ambiente hiperglicêmico aumenta a acidez vaginal, o que favorece o crescimento dos fungos. Por isso, ?que de olho na alimentação. O uso de preservativo nas relações sexuais também é recomendado, além de controlar o estresse para evitar a queda de imunidade, que também pode ser ocasionada pelo uso de antibióticos e anticoncepcionais. Mas, também é importante ?car atento aos hábitos, como manter a higiene íntima, e usam calcinhas de algodão.

Tratamento

O primeiro passo é descobrir as causas da doença e tentar combatê-las. Nos casos agudos, o recomendável é usar medicamentos com antifúngicos em comprimidos na fase pré-menstrual por período prolongado (geralmente mais de seis meses) ou utilizar cremes no local indicados pelo médico especializado.

Revista VivaSaúde edição 104

 



COMENTE!