assine

Newsletter

Receba as novidades, cadastre-se

Sono de homens e mulheres tem diferença

Publicado em 21 de May de 2015 por Marília Alencar | Comente!

Enquanto os homens sofrem mais de apneia, as mulheres passam as noites em claro por causa da insônia. Saiba por que as diferenças entre os sexos estão presentes até mesmo na hora de dormir



Texto Sílvia Dalpicolo/ Foto: Shutterstock/ Adaptação: Marília Alencar

Casal X Sono
(Foto: Shutterstock)

Escritores do mundo inteiro já apontaram em livros e crônicas as diferenças entre homens e mulheres. Seja em relacionamentos ou na vida profissional, todos conhecem uma característica ou outra que faz os dois gêneros tão diferentes. E, acredite se quiser, eles também diferem quando o assunto é sono. A descoberta aparece no Levantamento Epidemiológico (Episono) do Instituto do Sono da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). Realizado anteriormente nas décadas de 1980 e 1990, o Episono é, segundo o próprio autor, Sérgio Tufik, muito preciso, já que os participantes foram aos laboratórios para realizar testes de polissonografia (aparelho em que são medidos a atividade cerebral, os músculos, respiração, movimento dos olhos e batimento cardíaco durante o sono), exames de sangue e responder a questionários (nos anteriores foram usados apenas questionários).Com a junção de todos esses dados, chegou-se ao resultado final: 32% dos participantes do sexo feminino sofrem de insônia e 40% do masculino são perturbados pelo ronco. Ao todo, foram 1.042 voluntários paulistanos que se submeteram à bateria de exames.

INSÔNIA OU APNEIA

Para entender melhor os resultados da pesquisa, primeiro é preciso saber quais são os principais distúrbios que atormentam o descanso noturno. A insônia é, de maneiraseja apenas uma simples dificuldade de entrar no sono ou reflexo de problemas psicológicos. Já a apneia promove engasgos e paradas respiratórias durante toda a noite. No entanto, o problema mais grave detectado no estudo é a restrição de sono. Para Sérgio Tufik, que também é diretor do Instituto do Sono, a população hoje está preocupada em aproveitar a noite para passear, assistir a programas televisivos, acessar a Internet e, com isso, negligencia as horas dormidas.

Nesse quadro, ainda encaixam-se três situações: a privação de sono, em que a pessoa fica dias sem dormir; a privação de uma fase do sono, em que o indivíduo não consegue alcançar uma fase importante do sono, como a delta ou a REM (conheça cada uma delas no quadro As Fases do Sono); e a fragmentação de sono, quando o sujeito acorda várias vezes durante a noite e dorme “picado”, seja por apneia, movimentação das pernas ou outras doenças que atrapalham o descanso.

Revista VivaSaúde/Edição 74



COMENTE!