assine

Newsletter

Receba as novidades, cadastre-se

Como descobrir se as crianças têm dificuldade para enxergar

Publicado em 30 de Sep de 2014 por Clara Ribeiro | Comente!

Especialista dá dicas para diagnosticar problemas na visão das crianças antes mesmo de iniciar a vida escolar



Texto: Clara Ribeiro / Foto: Reprodução

Para especialista, a criança pode andar bem, brincar e interagir com as pessoas,

mas mesmo assim não ter uma boa visão nos dois olhos. Veja como diagnosticar

Foto: Reprodução

Diagnosticar quando as crianças não estão enxergando bem é uma tarefa delicada. Geralmente, os pais esperam o início da vida escolar do filho para levá-los ao oftalmologista, mas muitos ainda aguardam a indicação dos professores de que eles estão com dificuldades na hora de ler

De acordo com a oftalmologista Daniella Fairbanks, do Hospital e Maternidade São Luiz, para garantir a saúde dos olhos das crianças é necessário observar a visão desde o nascimento.

Conheça dicas da profissional para evitar complicações visuais nos pequenos: 

RECÉM-NASCIDOS

Procure um retinólogo (no caso de crianças prematuras): Crianças prematuras, que nascem com cerca de um quilo, são submetidas a altas cargas de oxigênio a fim de estimular o ganho de peso. A oftalmologista alerta que, devido a este tratamento, o bebê pode desenvolver alguns distúrbios de retina com complicações seríssimas.

Certifique-se que o ‘teste do olhinho’ foi realizado: Todos os recém-nascidos devem ser submetidos ao ‘Teste do Olhinho’, ou ‘Teste do Reflexo Vermelho’. Esse exame é fundamental para descobrir alguma alteração na visão do bebê, antes mesmo da alta.

ATÉ UM ANO

Estrabismo em bebês é normal? Até os seis meses, sim. Isso é devido a uma natural imaturidade visual da criança. Após esta idade, se o desvio de olhar permanecer, os pais devem levá-la a um oftalmologista para avaliação.

Primeira visita ao oftalmologista: Catarata não é um mal apenas da terceira idade. E ela pode se esconder, até mesmo, no Teste do Olhinho. Por isso, Daniella indica que os pais levem o filho ao oftalmologista, pela primeira vez, entre seis e oito meses de idade. “O adulto diagnosticado com catarata segue a vida muito bem após cirurgia. Já na infância, a catarata é perigosa, pois pode interromper o desenvolvimento da visão. A criança diagnosticada com essa patologia deve operar com urgência”, alerta.

Examine seu filho em casa: A profissional indica tapar um dos olhos do bebê e dar um brinquedo para ele manusear. Em seguida, repita o teste com o outro olho e observe bem. Caso tenha algum problema em um dos olhos, não será difícil perceber. A criança não gostará que tampem seu olho saudável e, naturalmente, irá reclamar e chorar.

2 E 3 ANOS

Não se engane com o desenvolvimento da criança: A criança pode andar bem, brincar e interagir com as pessoas. Mas isso não significa que ela tem uma boa visão nos dois olhos. A criança pode se adaptar a enxergar com apenas um olho. Se houver algum problema com um dos olhinhos, o oftalmologista poderá indicar o uso de óculos ou, dependendo do caso, um tampão no olho mais saudável, com o objetivo de estimular a visão prejudicada.

Com figuras, a criança já informa a visão: Nesta idade, já é possível medir a visão da criança por meio de figuras. Isso é fundamental para obter um exame de visão mais apurado e corrigir a vista, caso necessário.

Dilatar a pupila é importante, sim: Muitos pais resistem à dilatação de pupila feita por oftalmologista. Isso porque o exame pode provocar desconforto na criança. Contudo, dependendo do exame clínico, a dilatação é inevitável. É para o bem do filho!

4 ANOS

Voltar ao oftalmologia antes da alfabetização: Atualmente, a criança brasileira se alfabetiza com aproximadamente 5 anos de idade. Com isso, é importante retornar ao oftalmologista antes deste momento, para garantir uma visão saudável e aproveitar bem os primeiros aprendizados na escola.

A PARTIR DOS 5 ANOS

Visitar o oftalmologista pelo menos uma vez ao ano: O exame de fundo de olho, ou oftalmoscopia, é indicado pelo menos uma vez ao ano. E isso continua após a infância, para evitar o glaucoma, entre outras doenças oculares e até males como o diabetes.



COMENTE!