assine

Newsletter

Receba as novidades, cadastre-se

Saiba o perfil do idoso antes de escolher o cuidador

Publicado em 29 de Apr de 2015 por Marília Alencar | Comente!

De olho no perfil do idoso! Saiba como escolher a melhor pessoa para tomar conta do idoso que carece de atenções especiais



Texto Diego Benine / Foto: Shutterstock 

Idoso e cuidador

(Foto: Shutterstock)

Apático: se a causa é uma patologia, o idoso necessita de alguém extrovertido, alegre, que crie alternativas para que ele saia deste estado. Mas há de se ter parcimônia. “A apatia incomoda mais os que estão ao redor do que o paciente. Se não tiver uma causa potencialmente tratável, deve ser respeitado pelo cuidador e pelos familiares”, alerta o geriatra Paulo Camiz.

Depressivo: tal condição pode derivar de outro quadro clínico (como um AVC) e se manifesta na forma de irritabilidade e impaciência. Quem cuida não pode ter depressão e deve saber respeitar a condição do idoso. “Vai se dar melhor aquele que tem o perfil técnico: focado na prestação de serviços e com alto controle emocional”, recomenda Jorge Roberto Afonso de Souza Silva, presidente de Associação de Cuidadores de Idosos de Minas Gerais (ACI-MG).

 Agressivo: esse tópico refere?se a indivíduos com distúrbios psiquiátricos. O caregiver precisa ter autocontrole, ser observador (para ser capaz de compreender o que leva o outro a se irritar) e saber desviar o comportamento agressivo.

Acamado: nesse caso, profissionais muito velhos ou com debilidades físicas não são recomendados, pois o paciente deverá ser carregado com segurança. Hiperativos não são os mais adequados: eles geram angústia naquele que está em repouso.

Hipocondríaco: “Idosas de comuns. Se o cuidador for muito submisso, tímido e introspectivo, o paciente vai conseguir o que quer — colocando a própria saúde em risco. Escolha alguém que demonstre segurança”, sugere o cuidador Jorge.

Hiperativo: o caregiver deve serpaciente e capaz de anteciparacidentes. “Eles se expõem a situaçõesde risco. Grau de atenção e capacidade de pensar rápido são fundamentais para cuidar de alguém com tal perfil.”

Revista VivaSaúde/ Edição 128



COMENTE!