assine

Newsletter

Receba as novidades, cadastre-se

Alimentos que combatem o estresse

Publicado em 22 de Nov de 2013 por Leticia Maciel | Comente!

Em pequenas porções o estresse é um mecanismo de defesa útil do organismo. O problema é quando ele começa a prejudicar a qualidade de vida. Para combater essa doença, conheça alimentos poderosos


  • Maracujá 

    É fonte de carboidratos, de minerais como cálcio, ferro e fósforo, e ainda de vitaminas A, C e do complexo B. A fruta tem propriedades sedativas, aliviando a tensão e a ansiedade, o que também ajuda a pegar no sono. Suas folhas, assim como o fruto, também apresentam importante ação calmante.

    Dica: invista em um copo de suco da fruta. Só evite antes de trabalhar ou estudar, por exemplo, para não sentir sono.

     

  • Castanha-do-brasil

    É rica em ômega 6, uma gordura que possui ação anti-inflamatória. Possui vitamina E e selênio, dois bons antioxidantes. Vale destacar que os radicais livres passam a ter um efeito prejudicial quando ocorre um aumento excessivo na sua produção ou diminuição de agentes antioxidantes que os degradam. E, quando há predomínio dos radicais livres, temos o estresse oxidativo, que promove desequilíbrio corporal.

    Dica: coma 1 castanha por dia

  • Carnes 

    Possui ferro, que ajuda a prevenir a anemia (responsável por aquela sensação de cansaço e fraqueza). Suas proteínas funcionam como importantes componentes dos tecidos estruturais do corpo. Por isso, seu consumo adequado e com pouca gordura impede a degradação muscular.

    Dica: segundo a nutróloga Tamara Mazaracki, o ideal é restringir o consumo a duas vezes por semana, numa porção de 1 bife médio ou 2 colheres de sopa.

  • Frutas cítricas 

    Laranja, limão, acerola e abacaxi são frutas ricas em vitamina C, um antioxidante que ajuda a combater os radicais livres, moléculas instáveis que, em excesso no organismo, provocam uma pane no sistema imunológico e deflagram o estresse oxidativo.

    Dica: uma laranja por dia, por exemplo, é o sufi ciente para garantir a quantidade necessária do nutriente.

  • Água 

    Beber bastante água combate a desidratação, que é um dos principais responsáveis pela fadiga e pelo metabolismo lento, o que promove uma queda na disposição. O líquido ainda ajuda o organismo a liberar as toxinas mais rapidamente, o que é bom, pois elas o sobrecarregam.

    Dica: a recomendação é de dois litros diários, contando os copos consumidos e a água do preparo dos alimentos.

  • Cereais integrais 

    Com o estresse em fase de alerta, ocorre uma aceleração do metabolismo e, portanto, do consumo de energia. Consequentemente, esgotam-se mais rapidamente os estoques energéticos. E os carboidratos são os fornecedores mais eficientes desse combustível. Porém, ao invés de buscá-lo em doces, recorra aos cereais integrais, que liberam calorias com uma velocidade menor.

    Dica: boas apostas são levedo de cerveja e aveia, que apresentam boa performance com duas colheres (sopa) diárias.

     

  • Banana 

    Rica em vitamina B6, que aumenta a resistência à fadiga. Os carboidratos da fruta favorecem a produção da serotonina, um neurotransmissor que promove a sensação de bem-estar ao corpo.

    Dica: vale a pena comer uma fruta diariamente.

     

  • Leite 

    Contém cálcio, que possui propriedades relaxantes e mantém o ritmo cardíaco, e triptofano, um aminoácido precursor da serotonina, responsável pela sensação de bem-estar. “Ele é conhecido como um tranquilizante natural”, comenta a nutricionista Andressa Edde.

    Dica: dois copos de leite morno por dia são uma boa medida. Prefira o desnatado.

  • Folhas verdes

    Espinafre, couve, rúcula, agrião, são importantes por serem ricas em potássio, ácido fólico, magnésio, ferro, vitaminas A e C, e também as do complexo B, que ajudam a relaxar a musculatura e a espantar a fadiga. 

    Dica: faça um prato de folhas antes do almoço e do jantar.

     

  • Peixes 

    Minerais presentes no peixe, como o zinco e o selênio, estimulam a atividade cerebral, impedindo o cansaço ao final do dia. Opções como atum, sardinha e salmão também são ricas em ômega 3, que favorece a atividade cerebral e diminui o cansaço.

    Dica: segundo o endocrinologista Tércio Rocha, do Rio de Janeiro, o consumo de três filés médios por semana garante todos os benefícios.

     

  • Tomate 

    Rico em licopeno, que combate a ação dos radicais livres. Boa fonte de potássio ajuda a manter o equilíbrio dos vasos, controlando a contração das fibras musculares, até mesmo as do coração.

    Dica: duas unidades diárias garantem seus benefícios.

  • Iogurte 

    É fonte de vitaminas B6 e B1, que atuam no sistema nervoso, promovendo relaxamento, e minerais como zinco (bom para a memória) e selênio (antidepressivo natural). Os com lactobacilos agem de forma indireta, ajudando na absorção de nutrientes alimentares, até mesmo os que combatem os efeitos nocivos do estresse.

    Dica: um pote (200 g) por dia garante sua ação benéfica.

  • Macarrão

    Pratos com alto teor de carboidratos — principalmente o do tipo integral — melhoram o humor, pois elevam o nível de serotonina no cérebro. Um estudo da Universidade de Utrecht, com pessoas vulneráveis ao estresse, revelou que, ao comerem macarrão antes de uma prova estressante, os participantes não sentiram tanto nervosismo. 

    Dica: para levantar o astral coma um prato raso por dia.

Texto: Françoise Gregório/ Fotos: Danilo Tanaka, Fabio Mangabeira, Shutterstock/ Adaptação: Letícia Maciel 

Revista VivaSaúde Edição 74



COMENTE!