assine

Newsletter

Receba as novidades, cadastre-se

Alimentos que previnem o câncer

Publicado em 07 de Mar de 2014 por Leticia Maciel | Comente!

Conheça o arsenal para evitar essa doença tão temida e ainda garantir uma saúde impecável


  • Tomate 

    Essa fruta, muitas vezes confundida com um legume, é rica em um nutriente chamado licopeno, íntima e comprovadamente ligado à prevenção do câncer de próstata, sendo grande amiga da saúde do homem. Também existem evidências que apontam que ele previne tumores nos pulmões, mama, fígado e estômago. A dica é que o aquecimento aumenta a biodisponibilidade desse nutriente.
    Como variar: alimentos como tomate, goiaba, pimenta, damasco, melancia, entre outros frutos vermelhos, também são ricos em licopeno, e um tomate contém apenas 10% da quantidade necessária do nutriente.
    Como consumir: vale a pena consumi-lo em uma das cinco porções recomendadas de vegetais ao dia, mas experimente variá-lo com outros vegetais, para conseguir diversos nutrientes. 

     

  • Brócolis 

    O vegetal verde-escuro pode reduzir do risco de alguns tipos de câncer, como colorretal, de pulmão, de próstata e de mama. Isso ocorre devido a nutrientes chamados glicosinolatos que estimulam a eliminação de toxinas e agentes mutagênicos do organismo, substâncias capazes de estimular a transformação das células e causar tumores.
    Como variar: os nutrientes também estão presentes nos crucíferos, como a couve, as folhas de mostarda, o repolho, a couve-flor e a couve-de-bruxelas.
    Como consumir: não dá para estimar a quantidade de glicosinolatos da planta, tudo depende do local de cultivo. Mas os especialistas indicam o consumo de até 1 xícara (chá) de brócolis ou outras crucíferas.

     

  • Soja 

    As isoflavonas são componentes semelhantes ao estrógeno (hormônio feminino) e, por isso, elas estão ligadas à prevenção dos cânceres de mama e útero, em estudos feitos na Ásia. Mas a boa notícia é que pesquisas também indicam sua ação contra o de próstata. Faltam estudos que comprovem isso aqui no Ocidente, onde o consumo desse alimento é menos comum.
    Como variar: as asiáticas, mais beneficiadas em estudos sobre soja e câncer, consomem esse alimento em preparações como edamame, missô e tofu, além da soja fermentada.
    Como consumir: a Food and Drug Administration (FDA) indica o consumo de 25 g , isto é, 1 colher (sopa) por dia de proteína de soja.

     

  • Uva rosada 

    O resveratrol é um nutriente que ficou famoso por meio do vinho tinto, mas que originalmente vem da uva, mais exatamente da casca. Alguns estudos feitos com o nutriente isolado sugerem que ele teria um efeito na metabolização e excreção de substâncias cancerígenas e na inibição da propagação de células cancerígenas. Mesmo isso não sendo uma certeza, o nutriente tem ação antioxidante, o que por si só já ajuda a evitar a oxidação característica do câncer.
    Como variar: derivados da uva, como o vinho tinto e o suco, são ricos nessa substância. O amendoim também tem uma quantidade, embora menor, de resveratrol.
    Como consumir: indica-se dois cachos pequenos ao dia ou 250 ml (1 copo) do suco de uva.

  • Cacau 

    O fruto, que origina o chocolate, é rico em compostos antioxidantes, como as catequinas e procianidinas, que têm efeito antioxidante e antiinflamatório, diminuindo o risco de câncer e outras doenças crônicas. Além disso, ele é rico em fibras, que melhoram os trânsito intestinal, turbinando o sistema imunológico e deixando os nutrientes tóxicos por menos tempo no organismo.
    Como variar: esses nutrientes também estão presentes no chá-verde, na cúrcuma, maçã e no vinho tinto.
    Como consumir: o cacau normalmente é consumido no chocolate, e o ideal é sempre escolher os de tipo meio amargo e não ultrapassar um quadradinho por dia. Em excesso, ele pode até eliminar o cálcio do organismo e engordar, já que possui uma alta quantidade de lipídeos

  • Maçã 

    E não é que uma maçã ao dia pode manter o oncologista longe? A fruta é rica em um nutriente chamado quercetina, que pode proteger as células de danos ao DNA causados por radicais livres. Ela seria mediadora da defesa imunológica celular, principalmente nas células do intestino. Além disso, ela possui várias fibras, que melhoram o trânsito intestinal e ainda tem efeito desintoxicante.
    Como variar: a quercetina também está presente na cebola (principalmente a roxa), no brócolis, no chá-verde, na romã, nas frutas vermelhas, assim como na uva rosada.
    Como consumir: na casca da maçã é onde mais há esse nutriente, e o indicado é consumir uma por dia, ou variar com os outros alimentos ricos em quercetina.

     

  • Aveia 

    Esse é o alimento mais rico em beta glucanas, fibras solúveis que melhoram o trânsito intestinal, pois formam um gel em torno do bolo alimentar, melhorando seu transporte. Isso ajuda a prevenir cânceres de cólon e reto, justamente por impedir que as substâncias tóxicas fiquem muito tempo no nosso corpo, de acordo com estudo feito pelo Imperial College, da Inglaterra. Além disso, estudos preliminares têm apontado a relação dessas fibras com uma melhora do sistema imunológico, principalmente com as células que matam o câncer.
    Como variar: as beta glucanas também estão presentes em cogumelos, cevada e levedura, mas a maior fonte realmente é a aveia.
    Como consumir: o ideal é consumir cerca de 30 g (2 colheres de sopa) por dia desse cereal, para ter um bom aporte de fibras.

  • Castanha-do-pará 

    Esta oleaginosa é rica em uma dupla dinânica: vitamina E e selênio. Esses nutrientes têm ação antioxidante e, quando consumidos juntos, potencializam este efeito. Um estudo inglês de 2012 mostra que essas substâncias podem colaborar na redução do câncer do pâncreas. Elas atuam reparando o DNA e, com isso, diminuem o número de mutações, mas existem mais estudos sobre o selênio do que a vitamina E. Porém, o mineral em excesso pode causar estresse oxidativo (ação contrária), portanto nada de abusar no consumo.
    Como variar: outras oleaginosas (amêndoa, avelã etc.) contêm essa combinação. Vale a pena misturá-las.
    Como consumir: castanhas são ricas em gorduras boas, mas isso as torna calóricas. A boa porção é uma castanha ao dia.

     

  • De olho no cominho!

    O cominho negro é uma semente rica em nutrientes como antioxidantes, fitoesterois e ômega-3, substâncias já relacionados à prevenção do câncer. Porém, há uma delas, em especial, que tem sido estudada in vitro e em ratos, com alto potencial anticancerígeno: a timoquinona. São estudos preliminares e ainda não dá para saber se em humanos dará certo. Mas fique de olho!

     

Texto: Natasha Franco/ Fotos: Fabrizio Pepe/ Produção: Janaina Resende/ Adaptação: Letícia Maciel 

Revista VivaSaúde Edição 130



COMENTE!