assine

Newsletter

Receba as novidades, cadastre-se

Descubra os benefícios da melancia

Publicado em 26 de Jan de 2015 por Clara Ribeiro | Comente!

Ela é hidratante, melhora o funcionamento do intestino, a resposta imunológica e ainda promove o relaxamento e a dilatação dos vasos sanguíneos



Texto: Michelle Freire / Colaborou: Letícia Ronche / Produção: Janaina Resende / Foto: Shutterstock / Adaptação: Clara Ribeiro

Que tal aproveitar a estação mais quente do ano para

garantir os benefícios dessa fruta refrescante?

Foto: Shutterstock

No tempo em que se construíam pirâmides, mais de cinco mil anos atrás, os antigos egípcios adotaram um costume curioso: quando um faraó morria, eram colocadas várias melancias no túmulo do soberano. A ideia era que, ao acordar para a vida após a morte, ele pudesse se alimentar da fruta. Hoje, os costumes religiosos mudaram, mas os egípcios continuam reconhecendo as propriedades nutricionais da melancia. Não por acaso, a fruta é uma das mais apreciadas na região do Nilo no verão.

O costume se espalhou por todos os continentes e a melancia é uma excelente pedida nas estações mais quentes do ano, não importando se o seu consumo é in natura ou em forma de sucos. E não só por conta do sabor adocicado: 92% da fruta é composta de água, por isso ela tem poder hidratante.

De acordo com um estudo realizado pela Universidade de Aberdeen, no Reino Unido, a melancia ocupa o primeiro lugar no ranking das frutas que mais previnem a desidratação. A razão para isso é a quantidade de água presente nela e na combinação de minerais que mantêm o equilíbrio hídrico do corpo.

Limpeza de toxinas

Em um país tropical, a fruta é super acessível, o que facilita a vida daqueles que querem usufruir de seus benefícios. Falando neles, você sabe quais são? “A fruta contém vitaminas B1, B2, A e C, além de cálcio e fósforo, garantindo betacaroteno, licopeno e glutationa, antioxidantes protetores do organismo contra o envelhecimento precoce, a oxidação das células e contra o câncer, sem contar que é um poderoso diurético e laxativo, ajudando na limpeza de toxinas do organismo, bem como facilitando o emagrecimento”,conta Marcela.

E não para por aí: Cinthia cita também a melhora do funcionamento do intestino, graças à presença de fibras, água e magnésio, e da resposta imunológica, já que a fruta possui bons antioxidantes como a vitamina C e o licopeno. Outro benefício é a promoção do relaxamento e da dilatação dos vasos sanguíneos, o que é proveitoso para o desempenho de praticantes de atividade física.

Melhor para as mulheres

“É mérito da vitamina A o fortalecimento do sistema imunológico. Já a vitamina B protege as unhas e os cabelos”, destaca a nutricionista Suzana Camacho Lima, docente do Centro Universitário Senac (SP).

Para quem está em busca de emagrecimento saudável, mais uma boa notícia: “As mulheres têm uma tendência maior à retenção hídrica, por isso é bom ter à mão uma opção natural e saborosa como a melancia para facilitar a eliminação de líquidos”, sugere Suzana. E o sabor ajuda quem precisa evitar as guloseimas. “Como ela é adocicada, pode ser consumida como sobremesa, ajudando a controlar a vontade de comer doces e substituindo guloseimas muito calóricas”, lembra a nutricionista.

Acrescente à lista de vantagens de comer melancia o efeito de amenizar sintomas da tensão pré-menstrual. “Como também possui a vitamina B6, potássio e grande quantidade de água, evita, assim, estados de irritabilidade e os inchaços do período pré-menstrual”, finaliza Cinthia.

Quase um remédio

“A fruta complementa os tratamentos de quem sofre de reumatismo, doenças na garganta e respiratórias, além de problemas urinários. O médico deve indicar a quantidade e como deve ser feito o seu consumo”, conta a nutricionista Marcela Frias (RJ). A melancia ainda atua em terapias para o aumento da imunidade, pois possui boa quantidade de vitaminas A e C. “É útil contra as cãibras dos atletas: o potássio, a água e o magnésio reduzem os sintomas e a citrulina auxilia no desempenho físico”, diz Cinthia Leão, nutricionista funcional (RJ).

 

 

Fontes: Andrea Santa Rosa, nutricionista da Andrea Santa Rosa Nutrição Funcional (RJ); Cinthia Leitão, nutricionista (RJ); Marcela Frias, nutricionista da clínica DICORP (RJ) e Suzana Camacho Lima, docente do Centro Universitário Senac (SP).

Revista VivaSaúde - Edição 140