assine

Newsletter

Receba as novidades, cadastre-se

Proteína pode baixar a pressão

Publicado em 01 de Jul de 2015 por Marília Alencar | Comente!

Estudo sugere que o nutriente ajuda a evitar a hipertensão se ingerido de forma certa. Investigamos se essa medida pode mesmo ser benéfica como forma preventiva e para quem já sofre com o problema



Texto Tatiana Pronin / Foto: Fabrizio Pepe

Carne é fonte de proteína

(Foto: Fabrizio Pepe)

Uma pesquisa publicada em 2014 no American Journal of Hypertension mostrou que pessoas sem doenças cardiovasculares, diabetes ou hipertensão e que consomem uma média de 100 g de proteína ao dia apresentam um risco 40% menor de ter pressão alta a longo prazo, não importando se a fonte prevalente era de origem animal ou vegetal. Para quem capricha na ingestão de fibras, o benefício seria ainda mais dramático: a probabilidade seria de 40% a 60% menor.

O trabalho, feito por pesquisadores da Universidade de Boston (EUA), analisou dados de um estudo a longo prazo chamado Framingham Heart, que contou com mais de 5 mil americanos de diferentes faixas etárias, mas com prevalência de indivíduos na faixa dos 40 aos 49 anos. Os resultados são válidos para obesos e pessoas com peso normal. No estudo, os cientistas admitem que ainda é preciso entender melhor a ligação entre proteínas e pressão arterial, mas algumas hipóteses já foram levantadas.

Uma delas é que os derivados do leite (como iogurte e queijo) possuem certos componentes que agem de forma similar aos inibidores de enzima conversora de angiotensina (ECA), medicamentos mais usados contra a hipertensão. Outra possível explicação para o benefício é que outros alimentos proteicos (ovos), contêm altos níveis de arginina, um aminoácido que ajuda a dilatar os vasos sanguíneos e, como consequência, reduz a pressão. Masisso valeria para fins preventivos.

Revista VivaSaúde/ Edição 144



COMENTE!